Características de cor das lâmpadas

Iluminação


Nem todas as lâmpadas emitem luz da mesma cor. Por exemplo, há uma diferença surpreendente entre a luz amarela das lâmpadas de sódio a alta pressão e a luz branca que emite a maioria das restantes. Inclusivamente, entre estas últimas a luz branca não é exactamente igual. Para seleccionar a fonte luminosa adequada pelas suas características de cor existem dois parâmetros importantes, a Temperatura de Cor (Tc) e o Índice de Reprodução Cromática (IRC).

O que é a temperatura de cor?


A “aparência de cor” de uma lâmpada faz referência á cor de luz que emite. A luz branca que produz uma lâmpada pode variar desde tonalidades quentes a frias, definidas assim em função das sensações psicológicas que nos produzem. Nas fontes de luz incandescentes, a temperatura de cor da luz está estreitamente relacionada com a temperatura física do filamento (medida em Kelvin). Ao variar a temperatura do filamento varia também a aparência da luz. Quanto mais baixa é a temperatura do filamento mais quente ou dourada nos parece a luz, enquanto ao aumentar a temperatura a luz nos parece mais fria ou azulada.

Tc< 3.300 K – Branco quente: É a cor da luz das lâmpadas incandescentes, de halogéneo, de sódio branco, MASTER Colour 830, fluorescentes lineares, e compactas de cor 827, 830 e 930. Utilizam-se geralmente para ambientes íntimos e agradáveis nos quais o interesse está centrado em conseguir um ambiente relaxante e acolhedor.

3.300 K < Tc < 5.300 K – Branco neutro: É a cor de luz que emitem as lâmpadas MASTER Colour 942, as fluorescentes lineares, compactas de cor 840, 940 e 950, e as de iodetos metálicos MHN. Normalmente utilizam-se em zonas comerciais e escritórios onde se deseja conseguir um ambiente que potencie a concentração.

Tc > 5.300 K – Branco frio: É a cor que mais se parece com a luz natural do dia. Consegue-se com lâmpadas fluorescentes lineares e compactas de cor 850, 865, 950 e 965.

A escolha da temperatura de cor é uma questão psicológica, estética e onde entra em jogo a percepção de natural há de ter em conta o nível de iluminação, as cores da decoração da sala e dos móveis, o clima da zona geográfica onde se realiza a aplicação. Em climas quentes geralmente prefere-se uma temperatura de cor fria, enquanto em climas frios se está confortável com fontes de luz quentes.

O que é o Índice de Restituição Cromática?


Supõe-se com frequência, que uma vez definida a temperatura de cor, a impressão de cor fica determinada. Na realidade não é assim. A impressão de cor não é determinada somente pela temperatura de cor da fonte luminosa, mas também pela sua capacidade de reproduzir as cores, que se determina pelo Índice de Reprodução Cromática (I.R.C.). Além disso a temperatura de cor e o índice de reprodução cromática são parâmetros completamente independentes. Como exemplo, e apesar de que tanto a luz solar como a luz de uma lâmpada incandescente terem uma reprodução cromática excelente, dado que no seu espectro se encontram todas e cada uma das cores, a aparência de cor é diferente, já que no caso da luz solar a sua temperatura de cor é fria, enquanto no das lâmpadas incandescentes é quente, pelo que produzem diferentes sensações sobre os espaços e cores iluminados.

Por outro lado, a maioria das lâmpadas de descarga têm um espectro descontínuo, isto é, o seu espectro não contém todas as cores. Em função das cores que contém o espectro, a reprodução de cor pode ir desde muito deficiente, como no caso das lâmpadas de sódio a baixa pressão, até excelente, como é o caso das lâmpadas fluorescentes da Gama 90 ou da família MASTER Colour.

Por este motivo, a escolha da lâmpada adequada para uma aplicação deve ter em conta não só a Temperatura de cor da luz, mas também o Índice de Reprodução Cromática.

Na prática utilizam-se as seguintes categorias (para maior informação consultar a norma UNE 12464-1):

IRC entre 90 e 100

As cores serão reproduzidas de forma excelente. É o tipo de lâmpadas que se deve utilizar em locais onde uma pequena variação na tonalidade pode ser importante: museus, impressão gráfica, consultas de odontologia, etc.

IRC entre 80 e 90

As cores serão reproduzidas de forma muito boa. É o tipo de luz que se deve instalar na maior parte das aplicações de interior, em concreto nos locais onde há permanência de pessoas, como se indica na norma UNE 12464-1.

IRC entre 60 e 80

Algumas cores podem ver-se distorcidas. Poderá usar-se em interiores onde não haja permanência de pessoas, como no caso da indústria pesada.

Fonte da informação: Philips

Um comentário em “Características de cor das lâmpadas”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *